Páginas

Na ilha - Tracey Garvis Graves


Título: Na ilha
Autor (a): Tracey Garves Graves
Publicação: Intrinseca - 2013
Número de páginas: 288
Onde encontrar: Skoob, Amazon, Saraiva
Nota: 🌟🌟🌟🌟,5

E se você caísse em uma ilha deserta com um garoto e o socorro parecesse não chegar?

“O que você acha que vai acontecer com a gente, Anna? “
“Não sei. Acho que temos que continuar fazendo o que estamos fazendo e tentar aguentar até que alguém nos encontre”
A professora Anna Emerson já está na casa dos 30 e se encontra em um relacionamento de muito tempo, mas que o seu parceiro não decide dá um passo a mais na relação, no compromisso. Cansada da situação da sua vida sentimental ela resolve aceitar um trabalho de verão, dando aulas à um adolescente, o T.J. Callahan que está numa remissão de câncer numa ilha paradisíaca. Os pais de T.J. já estão na ilha e ele e Anna vão depois e enquanto estão voando o piloto tem um mal súbito e o avião cai em uma ilha desabitada. Inicialmente eles tentam sobreviver enquanto o socorro chega, mas passam-se meses e ele nunca chega e já estão sem esperanças de que um dia irão embora. T.J agora já é um homem e então é que outros problemas começam a surgir para essa dupla?


Essa é uma história à la A lagoa azul e eu AMO a lagoa azul, hahahaha. Sempre vi muita gente falar que a capa desse livro engana (porque ela é bem feia) e que o seu conteúdo é bem bacana e que era uma boa pedida para se você estivesse a procura de uma leitura rápida. Foi o meu caso, eu estava em busca de uma leitura fluida, gostosa, rápida e que fosse um romancinho (que para mim tende sempre a ser mais rápida a leitura). E eu simplesmente devorei. A curiosidade em saber o que vai acontecer com os personagens te fazem devorar essa história.

Quando o avião cai numa ilha desabitada Anna e T.J. tem uma diferença gritante de idade, ela tem 30 e ele tem 16! E eles tem que se aproximar para tentar sobreviver. O mais legal nessa história é que nada acontece instantaneamente, seria até esquisito, mas essa dupla passa anos presa nessa ilha, muita coisa acontece. Eles estão sozinhos, precisam um do outro, tornam-se amigos e amadurecem muito um com o outro. Então, te confirmo, essa relação não é esquisita, é, na verdade, meio obvia, tendenciosa. Anna e T.J passam por muita coisa desde que caíram na ilha e precisam apoiar-se um no outro.

Gostei muito dos personagens, gostei da forma com que eles vão crescendo e nós, leitores, vamos acompanhando esse crescimento. Isso porque vemos cada situação que eles passam, cada dificuldade, cada sofrimento, cada momento de desespero, de desesperança. E eles sempre encontram apoio um no outro.

Quando o inevitável acontece, e isso não é spoiler porque, pelo amor de Deus, isso é um livro de romance amigos, é muito fofinho de ser, esquecemos a diferença de idade porque na altura do campeonato já não faz nenhuma diferença e nem tem nenhuma importância.

“Frequentemente eu flagrava T.J. me olhando, mas ele nunca fora tão claro. Ele estava ficando mais ousado, jogando verde. Se ele havia tentado esconder seus sentimentos antes, já não estava mais tão preocupado com isso. Eu não sabia quais eram suas intenções, ou mesmo se tinha alguma, mas viver com ele estava prestes a se tornar complicado.”

Quando eles enfim são resgatados e são obrigados a depois de anos voltar para suas realidades é que vem muitas dificuldades para eles enfrentarem. Eles estão em busca da recuperação de um trauma, buscar o tempo perdido, sofrendo muito preconceito e na vida real cada um está numa fase diferente da vida. E agora? Como será que esse casal enfrentará a realidade?

Essa é uma história bem fantasiosa, não venham em busca de realidade, porque tem umas cenas bem absurdas. Mas sinceramente, não me apeguei a isso. Saboreei cada momento dessa experiencia literária, de ler algo bem doidinho, fofo, de escrita gostosa e fluida e quando vi, tcharam! O livro tinha acabado.

Eu sinceramente gostei muito de ter feito essa leitura. Se você gosta do gênero, que ler um livro rápido e leve ou quer colocá-lo em uma maratona, indico muito! Leiam que é muito bacana!

0 comentários:

Deixe seu comentário