Páginas

A química que há entre nós - Krystal Sutherland

Título: A química que há entre nós
Autor (a): Krystal Sutherland
Publicação: GloboAlt - 2017
Número de páginas: 272
Onde encontrar: Amazon, Skoob, Saraiva
Nota: 🌟🌟🌟🌟

E quando o diferente se torna atraente?
"Então você não pode sair por aí pensando que qualquer pessoa por quem você se atrai é "A Pessoa Certa". As pessoas não têm almas gêmeas. Elas fazem suas almas gêmeas"

Henry Page é um adolescente comum de 17 anos, esquisito, magricela e vive sempre longe dos escândalos adolescentes. Ele estava em um momento de "desinteresse por garotas" (e garotos!), até a aparição da esquisita e novata na escola, Grace Town, atrasada na sala de aula. Era uma garota que tinha coisas que a diferenciava das outras garotas, ela se vestia com roupas de garoto, parecia suja e/ou doente e usava uma bengala. Mesmo com toda a sua esquisitice, Henry Page se encantou com Grace mesmo sem a conhecer, apenas com a sua entrada estranha na sala de aula.

"Então esta, com certeza, não é uma história de amor à primeira vista. Mas esta é uma história de amor. Bom. Mais ou menos."

Quando Henry finalmente consegue uma vaga com editor do jornal da escola, ele descobre que vai dividir o seu cargo com a garota nova. Mas Grace avisa a Henry que não irá escrever nada, apenas ajudá-lo, porque ela não escreve mais. Apesar de ter descoberto que Grace era uma escritora incrível, Henry  não sabe o motivo pelo qual ela parou de escrever. A verdade é que a garota é um grande mistério e Henry está obcecado por todo esse mistério. 
Já que eles terão que trabalhar juntos eles passam muito tempo juntos e é inevitável a aproximação entre eles. Acontece que Henry se apaixona perdidamente por Grace, mas ela parece estar passando por alguma fase. Ele quer ajudá-la mas ela não se abre, ela se mantém como um grande mistério e isso só faz com que o garoto se envolva mais e mais com ela.

Henry tem dois amigos que eu acredito fazer toda a diferença na história porque eles dão uma leveza na história que tem um quê de pesado. Tem bastante tempo em que eles são amigos, então eles são íntimos e se conhecem bem demais. Eu gostei muito dessa amizade porque me lembrou muito a minha  relação com os meus amigos. Em algumas cenas o Henry chega em casa e os seus amigos já estão lá no quarto dele, jogando o vídeo game dele ou outras em que um dorme na casa do outro sem o outro estar. Uma delícia de amizade. Bom, eles são Murray Finch, seu melhor amigo Australiano com cabelos compridos e loiros e Lola Leung, que também é vizinha de porta com ele desde sempre.

"Nós não usamos mais a palavra com G. Por favor, se refira a ela de agora em diante como Aquela-Que-Não-Deve-Ser-Nomeada."

Não posso deixar de falar sobre a família de Henry, que é uma verdadeira família exótica. Seus pais tem um espírito muito jovem, divertido e engraçadíssimos e tem uma relação maravilhosa com os filhos. Sim, Henry tem uma irmã! A Sadie é HILÁRIA! Porque ela é muito louca! Ela teve uma adolescência problemática porque ela era aquele tipo de adolescente que só entrava em confusão. Mas o melhor dessa família é que eles se amam e são muito unidos. Adorei essa família!

"Porque eu não me importo em ficar sozinho. Eu gosto, na verdade. Estive cercado por adolescentes que estão sempre entrando e saindo desses relacionamentos tóxicos e dramáticos, e isso nunca teve nenhum apelo para mim. Quero o que meus pais têm. Amor extraordinário."

Dialogo entre Henry e seus pais:
"Tem uma garota vindo."
"Vocês tem algum trabalho em grupo para a escola? Ela está dando tutoria pra você? Você está vendendo algo para ela? Você a atraiu sob falsas pretensões? Ela pensa que você vem de família rica? Você a está chantageando? Ela é uma usuária de drogas pesadas?"
"Ah, ha-ha, vocês são muito engraçados"

Diálogo entre Henry e sua irmã Sadie:
"Oh. Oh. Meu bebê está crescendo tão rápido!"
"Sai fora, demônia."

Enfim, essa história fala de assuntos fortes e importantes de uma forma leve. Krystal Sutherland vai desenrolando essa história com muita dose de mistério, porque só vamos descobrindo melhor quem é Grace de pouquinho em pouquinho junto com o Henry. Confesso que essa personagem não é carismática, pelo menos não pra mim. Entendi muito bem por tudo que ela passou, seria muito compreensível ela ser problemática, mas ela escolhe umas atitudes as quais eu não concordo, infelizmente. Eu gostei muito dos personagens dessa história, mas Grace realmente não conquistou meu coração porque apesar de tudo que ela passou não justifica brincar com os sentimentos dos outros. 

Eu dei quatro estrelas porque não achei uma história perfeita e eu não poderia dar 5 estrelas em uma história cuja a personagem principal não me conquistou. Mas eu gostei muito do teor da história e da sensibilidade da abordagem, além de ter gostado muito da escrita dessa autora. Recomendo!

"Mas quanto você pode saber sobre si mesmo se nunca gostou de ninguém antes? Nunca me senti tão distante de mim mesmo quanto naquele momento dentro do meu crânio? Como é que eu poderia ser eu, morando dentro da minha pele, e ainda não fazer ideia de quem eu era?"

0 comentários:

Deixe seu comentário