Páginas

A pequena livraria dos corações solitários - Annie Darling

Título: A pequena livraria dos corações solitários (A Livraria dos Corações Solitários # 1)
Autor(a): Annie Darling
Publicação: Verus – 2017
Número de páginas: 308
Onde encontrar: Amazon, Skoob, Saraiva
Nota: 🌟🌟🌟🌟🌟
"Seja corajosa, seja forte, seja um sucesso."
Posy passou a sua vida toda dentro da livraria Bookends porque os seus pais trabalhavam lá. Quando Lavínia, a dona da livraria, morre, Posy é surpreendida com o testamento que deixava a Bookends para ela. Ela tem 2 anos para fazer livraria reviver e sobreviver, mas o que ela não esperava era que o neto de Lavínia, Sebastian, faria dos seus dias um inferno por conta da herança deixada por ela. Posy quer uma livraria voltada para romances e Sebastian quer uma livraria de romances policiais, quem será que ganha essa briga?
"Mas romance, Morland. Aqueles livros são absurdos. Eles dão às mulheres a falsa esperança de que um dia vão encontrar um cavaleiro numa armadura reluzente, quando isso não existe. É um ideal impossível, e você só vai se decepcionar se insistir em procurar um homem que seja como um de seus heróis românticos."

"Eu sei que a vida real não é como uma história romântica. Meu Deus, como eu sei, mas ainda quero acreditar que seja verdade. Talvez seja por isso que me emociono por tabela quando leio romances sobre duas pessoas que superam todos os obstáculos, a maioria deles construídos por elas mesmas, até poderem viver felizes para sempre. Eu sei que deveria sair e namorar, mas, desde que meus pais morreram, fiquei travada."



Primeiro de tudo, eu comprei esse livro única e exclusivamente por conta da capa e porque estava baratinho em uma promoção da Amazon. Eu não sabia nada sobre ele e também não dava nada por ele, mas, nossa! Que grata surpresa.

Essa é a história de Posy, que recebe uma livraria quase falida como herança de uma pessoa especial para ela, que viu ela crescer e perder os seus pais queridos. Quando ela perde seus pais, ela é obrigada a amadurecer, se dedicar na livraria e cuidar do seu irmão menor. Quando sua querida amiga Lavínia vai a óbito, ela pensa que está perdida, que perderá seu emprego e terá que entregar o apartamento onde ela e o seu irmão moram de favor, que fica em cima da livraria. Até que ela é chamada para a leitura do testamento e tem uma bela surpresa.
Quando ela era criança ela tinha uma paixonite pelo neto de Lavínia, Sebastian, mas desde que algo aconteceu entre eles na infância, existe uma picuinha entre eles. E agora que Posy vai administrar a livraria, Sebastian aparece para atazanar ela!

Sem contar que ela é gente como a gente, ama ler! Seu apartamento é cheio de livros, ela ama sua rotina de leitura e dispensa qualquer programa para ficar em casa lendo um bom livro. É ou não é gente como a gente? Me identifiquei de cara com ela por isso hahaha.


"Melhor uma noite em casa com um bom livro do que uma noite fora com algum cara chato que nem se importa o bastante para vestir uma camisa limpa”

"Não adiantava querer explicar para Sebastian como era bom abrir um livro novo e inspirar aquele aroma maravilhoso. Ou o cheiro poeirento, quase terroso, dos livros velhos. Sentir o peso reconfortante de um romance no colo, ou deixar as páginas umedecerem ou ondularem enquanto se lê na banheira. Ele não entenderia."


Posy é romântica e é louca por romances de época. Inclusive o livro é cheeeeeeeeio de referencias maravilhosas de autoras que todo mundo ama e algumas que você fica na vontade de conhecer. Daí que ela tem a brilhante ideia em transformar a Bookends em uma livraria especializada em Romances, já que ela sabe tudo do assunto. Mas Sebastian inferniza ela para que seja uma livraria de Romances policiais. E aí que começa o pega-pega entre eles.

Eles brigam que nem gato e rato de uma forma tão diferente do que eu já li em outras histórias, que me envolveu completamente. Desde o início da história eu notei que Sebastian era um daqueles personagens masculinos CHA-TOS, que só servem pra pentelhar a mocinha, mas eu estava amando o fato dele ser chato hahahahahah, porque tava hilário. E eu ameeeeeeeeeei a Posy, ela não é aquelas mocinhas que ficam inseguras consigo, ela fala o que quer, toma suas próprias decisões e não fica se enganando. Achei ela divertidíssima e amei as cenas entre ela e Sebastian "brigando", porque eram umas briguinhas tão engraçadinhas e gostosinhas de ler.

"Posy desconfiava de que o gene ofensivo compunha pelo menos setenta e cinco por cento do DNA do rapaz. Portanto era de fato muito fácil detestar Sebastian, mas também muito, muito fácil apreciar sua beleza."



Durante a história, que é narrada em terceira pessoa, a personagem principal, a Posy, escreve seu próprio romance de época e é hilário ver o desenrolar desse romance. Posy é uma personagem muito engraçada, ela é toda construída num tom muito divertido e cômico.

Além dela e do Sebastian, existem na trama os funcionários da Bookends, que são amigos de Posy e que a ajudam nessa nova jornada dela como a patroa e na missão de fazer a empresa deslanchar e sair do vermelho. Com isso, vemos a força da amizade, o quanto nós precisamos estar em companhia de pessoas que somam na nossa vida. Como é bom contar com poucos e bons amigos.

O que mais amei nessa história foi a leveza. A autora certamente acertou no tom da história, pelo menos para o meu gosto. Eu amo quando as coisas acontecem de maneira envolvente, quando se existe um enredo por trás do romance, quando as coisas acontecem num ritmo mais real, uma química gostosa entre os personagens e principalmente um romance sem apelo sexual. Enquanto eu lia eu pensava em como eu estava com saudades de ler algo tão gostosinho e levinho.

A escrita de Annie me agradou demais. Eu corri para procurar mais obras suas, mas não encontrei. O que sei é que esse é o primeiro volume de uma série e que eu estou louca para as continuações porque realmente gostei muita da escrita. é do jeitinho que eu gosto.

As vezes tudo que a gente procura é um livrinho leve para balancear com outras leituras e esse, com certeza, é a pedida certa!

"Quando as coisas não mudam, ficam estagnadas e apodrecem, e então são necessárias medidas drásticas."

0 comentários:

Deixe seu comentário