Páginas

O visconde que me amava - Júlia Quinn

Título: O visconde que me amava (Os Bridgertons #2)
Autor(a): Júlia Quinn
Publicação: Arqueiro – 2013
Número de páginas: 288
Onde encontrar: Amazon, Skoob, Saraiva, Submarino.
Nota: 🌟🌟🌟🌟,5
“Como ele poderia deixar de admirar alguém que se agarrava com tanta força às próprias convicções? ”.

Após a morte inesperada de Edmund Brigerton, Anthony, o filho mais velho da família teve que assumir muitas responsabilidades. Depois de anos como visconde, Anthony Bridgerton decide que é hora de se casar. Lindo, inteligente e acostumado a conseguir tudo o que deseja, ele escolhe como futura esposa uma das moças mais cobiçadas da temporada: Edwina Sheffield. Kate Sheffield vive com sua meia-irmã Edwina e sua madrasta Mary. Por causa da difícil condição financeira da família, as irmãs tiveram que esperar um momento em que as duas poderiam participar da temporada em busca de um marido. Mais velha e com uma personalidade forte, Kate decide que precisa garantir a felicidade da irmã, que está fazendo muito sucesso na temporada, mas além de linda é também muito inocente. Kate não quer que ela se case com qualquer um, muito menos com um visconde ex-libertino que vem se mostrando interessado. Enquanto Anthony busca consquistar Edwina, Kate vai tentar protegê-la, mas além de diversos conflitos, essa disputa também terá uma inesperada paixão.
“ O senhor parece ter a habilidade de dizer sempre a coisa errada”.“-Só quando diz respeito à senhorita, minha cara”.
Apesar de não morrer de amores pelo primeiro livro da série: “o duque e eu”, adorei a interação dessa família e a escrita de Júlia Quinn, por isso continuei lendo. Não me decepcionei, esse livro se tornou um dos meus favoritos da série.  Um bom romance de época com uma escrita muito fluida!
“Ás vezes, existem razões para os nossos medos que nós não conseguimos explicar”.
O conflito entre os protagonistas é muito divertido! Anthony Bridgerton é um homem muito bom, mas que levava uma vida desregrada apesar de cumprir com suas responsabilidades e ser uma referência para seus irmãos. Ele carrega um trauma por ter perdido o pai de forma inesperada aos 18 anos, acredita que também vai morrer cedo como seu pai, com quem tinha uma ligação muito especial. Já Kate também perdeu os pais cedo, primeiro a mãe depois o pai. Mas vive em harmonia com sua madrasta e meia-irmã. Por estar mais velha do que deveria na temporada e sempre ser comparada com sua meia-irmã, kate se contenta com o posto de segunda, nunca tão interessante ou bonita como Edwina. Ela não tem dote e não foca em arrumar um marido, mas sim em garantir a felicidade de sua irmã.
“Ironia não lhe cai bem, Srta.Sheffield.”“-Nada lhe cai bem, lorde Bridgerton”.
Os protagonistas têm personalidades fortes, são desafiadores e determinados. Acho que por isso foi tão divertido ler os conflitos em que se metiam, sempre tentando levar a melhor. Adorei como kate desafia Anthony e o coloca em seu lugar, porque apesar de ser um homem maravilhoso ele se acha bastante! 😂Além de um casal muito bom, podemos mais uma vez participar da interação dessa família que é incrível. Irmãos que apesar de unidos vivem se pirraçando e rindo um do outro. Amei o jogo de Pall Mall do jeito bridgerton! Eles jogam em uma versão cheia de trapaças e com o objetivo de atrapalhar um ao outro de vencer. Outro personagem que trás humor a história é o cachorro de Kate, Newton, que é acima do peso e preguiçoso. 

“Seria possível apaixonar-se pela mesma pessoa sempre, todos os dias?”.
É um livro com personagens bem verdadeiros, repleto de humor e boa escrita. Gosto como Júlia escreve personagens reais, com inseguranças, traumas e pontos a serem superados. O amor pode ser encontrado em qualquer lugar, ele não é perfeito e nos desafia. É a mensagem que fica pra mim dessa história. Se assim como eu, você adora um romance de época, os bridgertons valem a pena. Essa série tem um universo muito bom e gostei muito de conhecê-lo.

Outro volumes da série:

Volume 1- Resenha aqui!









0 comentários:

Deixe seu comentário