Páginas

Simplesmente o paraíso - Julia Quinn

Título: Simplesmente o paraíso (Quarteto Smythe-Smith #1)
Autor(a): Julia Quinn
Publicação: Arqueiro – 2017
Número de páginas: 266
Onde encontrar:  Amazon, Skoob, Saraiva, Submarino.
Nota: 🌟🌟🌟🌟,5

A família Smithe-Smith tem um famoso concerto anual, uma noite em que as jovens da família ainda não casadas se apresentam para a sociedade. Seria uma noite maravilhosa se elas soubessem tocar os instrumentos, o que na maioria das vezes não é o caso. Honoria Smythe-Simth é irmã caçula de Daniel, uma moça muito gentil, que sempre vê o melhor nos outros. Ela participa do concerto de forma orgulhosa, apesar de estar ciente da falta de talento do grupo, por acreditar que é uma tradição importante. Mas ela também está procurando um marido e sonha em ter a sua própria família. O conde de Chaterris, Marcus Holroyd perdeu a mãe cedo e tinha um pai não muito amoroso, o resultado disso foi que acabou crescendo na casa dos Smythe-Smiths sempre que não estava na escola.  Depois que seu melhor amigo Daniel tem que se afastar da Inglaterra, Marcus recebe a missão de cuidar da irmã do amigo, para que ela não se case com um homem ruim. E é quando Marcus está tentando cumprir sua promessa que tudo muda.
“Eles nem se viam muito nos últimos anos, a não ser nas últimas semanas, é claro, mas Honoria sempre soubera que ele estava ali. O mundo era um lugar melhor só por saber que Marcus estava nele”
Adorei essa série! “Simplesmente o paraíso” não foi o meu favorito, mas é um livro super amorzinho de época. Acho que nunca li um tão fofo. Temos uma protagonista bem leal, a seus amigos e familiares, e simples.  É uma jovem que quer casar e ter uma família, que se mostra muito forte e determinada quando precisa. O protagonista é um homem bem fechado e tímido, ele conviveu muito tempo com a família Smithe-Smith por causa de seu amigo Daniel e por conta dessa amizade acaba assumindo a responsabilidade de “cuidar” de Honoria. Mas acaba que é ele que precisa ser salvo e é nesse momento em que ele percebe que a menina que vivia perseguindo ele na infância cresceu. Gostei da interação deles, porque é aquele amor que cresce de uma amizade, respeito mútuo e admiração.
“E o amor em algum momento é normal?”
Uma parte que adorei nesse livro é quando um personagem fica doente e Julia aborda um pouco a medicina da época. A enfermeira em mim adorou (😂). Conhecer essa família também foi bem legal, ela é bem grande e meio maluca. Apesar da falta de talento as matriarcas da família ignoram o vexame anual que é o evento, mas concordo com Honoria, fazer parte de algo assim, dessas tradições, independente do resultado, são memórias que guardamos para a vida inteira. O humor da história está nesses momentos de vexame, nas interações das primas,nas artimanhas de Honoria para tentar arrumar um marido (mais atrapalhada do que eu essa criatura) e na aparição da minha AMADA Lady Danbury! Amo de paixão quando Julia mata minha saudade dessa personagem colocando ela nas histórias.
“Pode manter a voz baixa?- sibilou ele”“Eu não estava fazendo barulho algum até você entrar-rebateu ela”
Mais uma série de Julia Quinn pra minha conta! Adorei! Nem precisa falar nada da escrita né? Julia pode não ser minha autora de época favorita, mas não discuto: é maravilhosa! Se assim como eu você ama esse gênero, super indico o quarteto.





0 comentários:

Deixe seu comentário