Páginas

Um perfeito cavalheiro - Julia Quinn

Título: Um perfeito cavalheiro (Os Bridgertons#3)
Autor(a): Julia Quinn
Publicação: Arqueiro – 2014
Número de páginas: 295
Onde encontrar: Amazon, Skoob, Saraiva, Submarino.
Nota: 🌟🌟🌟🌟,5
Benedict Bridgerton conhece uma mulher misteriosa em uma festa e se encanta instantaneamente por ela. Mas, a moça logo some e suas tentativas de encontra-la não têm êxito. Sophie Beckett é a filha bastarda de um falecido conde, ela vive com sua terrível madrasta que tem duas filhas, levando a vida de uma criada sem remuneração. Em sua única noite de aventura ela conhece o encantador Benedict Bridgerton, mas logo após sua vida inteira muda e ela foge de Londres. Anos depois o caminho dos dois volta a se cruzar, Sophie trabalha como criada e está em apuros, é justamente Benedict que aparece em seu socorro. Enquanto ela sabe exatamente quem ele é, ele acredita que ela é uma criada. O interesse entre os dois vai ressurgir, mas será que um dos solteiros mais cobiçados da sociedade vai se relacionar com alguém de outra classe social? 
“As pessoas viam o que esperavam ver”
 O terceiro livro das série os bridgertons tem bastante da história de cinderela. Sophie passa por muitos infortúnios nas mãos da madrasta Araminta e principalmente da filha mais velha Rosamund. A filha mais nova de Araminta: Posy, ainda parece ter alguma compaixão mas mesmo assim fica calada diante de todos os maus tratados, afinal, ela sozinha já sofre bastante na mão das duas. Apesar da vida difícil a protagonista é uma jovem corajosa, cheia de princípios, com bom caráter e misericordiosa. Falando assim parece que é uma personagem chata, mas longe disso. Julia conseguiu criar uma personagem com que me identifiquei bastante, apesar da história conhecida de gata borralheira.

“Passara a vida seguindo o caminho mais seguro, mais prudente. Apenas em uma noite abandonara a precaução. E fora a noite mais emocionante, mágica e maravilhosa de toda sua existência” 
Até esse livro não tinha me interessado muito por Benedict, confesso. Ele sempre foi um personagem bem neutro até aqui onde realmente o conhecemos. Apesar de inicialmente ter atitudes condizentes com a época e seu prestígio na sociedade, ele se mostra um homem respeitoso e honrado depois. Ele não achava que encontraria um amor igual ao de seus pais, mas quando encontra Sophie e o amor torna-se algo possível ele não tem medo de correr atrás do que deseja. Amo a interação da família Bridgerton, nesse contexto, Benedict não decepciona ao importunar seus irmãos. Essas são as partes mais divertidas da história pra mim, os momentos de convivência da família.
“E se havia alguma coisa certa na vida, como o fato de o sol nascer no leste, era que um Bridgerton jamais deixava passar uma oportunidade de provocar e atormentar outro Bridgerton” 
Já li muitas críticas negativas a esse livro, mas eu gostei. Sempre fico na dúvida se meu preferido é o volume dois da série ou esse.  É uma história clichê mas dentro de um universo que eu amo, com uma escrita maravilhosa e divertida. Apesar do interesse instantâneo do casal, a paixão deles não fica sem sentido como alguns insta loves que existem por ai. Com a convivência a autora desenvolve a relação deles a cada dia, até porque Benedict não sabe que a criada é mulher misteriosa que o encantou. Então eu gostei bastante dessa relação! Fiquei bem presa a história e não me decepcionei no final, amei as atitudes de Violet Bridgerton (mãe de Benedict), um dos meus momentos preferidos nessa história. Como já disse amo o universo dessa série e essa família, então super indico que você leia todos, ainda mais esse exemplar que é um dos meus favoritos!

Outros volumes da série:

Volume 1- Resenha Aqui!

                                     












Volume 2 - Resenha Aqui!


0 comentários:

Deixe seu comentário