Páginas

A melodia feroz - Victoria Schwab

Título: A melodia feroz (Monstros da violência #1)
Autor(a): Victoria Schwab
Publicação: Seguinte – 2017
Número de páginas: 384 
Onde encontrar: AmazonSkoobSaraiva
Nota:🌟🌟🌟🌟
“O que você quer? Ser normal? Ser humano?”
“É melhor do que ser um monstro”
Esse é um mundo que foi destruído pela violência e assim ele foi dividido em Norte e Sul e em consequência de tanta violência monstros começaram a ser gerados. Os protagonistas August Flynn e Kate Harker vivem cada um em uma dessas zonas e os seu pais são os líderes delas. August odeia a sua natureza sunai, ele quer ser bom e combater o mal, já Kate se espelha em seu pai, que é um homem vil e maligno. Em determinado momento suas vidas se cruzam e o segredo de August corre riscos, mas ele não pode ser descoberto para que não haja uma revolução, a trégua não pode ser quebrada. Para permanecerem vivos terão que unir as suas naturezas.
“Segundo o orientador tenho um problema com violência.”
“Não é o problema de todos nós?”
Nesse universo existem três tipos de monstros, os sunais que se alimentam de pecadores e são o equilíbrio e a justiça; os corsais se alimentam de carne e ossos e os malchais, de sangue de qualquer um. E o nosso protagonista, o August, é um sunai. Mas ele não aceita a sua natureza e por muitas vezes se alimentar é um verdadeiro sacrifício para ele. August é bom, ele quer lutar para combater toda a maldade e a violência, mas ele sofre muito com a super proteção dos seus "pais", mas essa história toda começa com uma oportunidade de finalmente August ganhar uma missão, algo que ele sempre quis. Ele tem que ir estudar no mesmo colégio que Kate Harker. Kate que não é boba nem nada começa a desconfiar que August tem alguma coisa estranha, algum segredo...
Os personagens são algo que é típico de Victória, cada um com seu jeito único de ser, suas personalidades bem pensadas e que fazem a história ter todo o sentido. August é aqueles protagonistas bonzinhos, sabe? que dá vontade de abraçar hahahaha! Mas não é aqueles bonzinho muito lesados não! Mas Kate é aquela personagem sabichona, que se acha e que as vezes dá vontade de colocar o pé pra ela cair de tão chata que fica. Mas ela é uma personagem incrível porque ela é forte, ela acredita nela mesma e não precisa de ninguém para se apoiar, ela é forte por ela mesma. É um personagem que tem uma história de sofrimento, uma família que deixou a desejar e carregar um complexo de abandono enorme! Por isso, quer tanto provar ao pai que pode ser tão malvada quanto ele. Mas o pai é um daqueles personagens vilões chato de doer que você deseja logo que alguém mate logo ele, sabe? E logo el descobre o poder que tem nas próprias mãos e que não precisa da aprovação do pai.
“A mente controla o corpo.”
“Toda fraqueza expõe a carne. E a carne atrai a faca.”
Na minha resenha de Um tom mais escuro de magia (Veja ela aqui), já havia elogiado a criatividade da autora e eu reafirmo. É incrível como ela cria uma história que só vai crescendo e se revelando magnífica. Eu ainda gosto muito de Um tom mais escuro de magia, mas esse é incrível! A crítica à violência nessa história por baixo de toda a trama é sensacional. 
O que me fez tirar uma 🌟? Foi pelo ritmo, até o ponto mais alto da história, achei lento! Espera mais ação, mais adrenalina. E Victoria não tem algo que eu gosto muito em histórias como essa, descrição. Ela não descreve muito seus mundos e o ambiente onde acontecem as cenas. Então isso fica em falta pra mim. E os personagens muito jovens ultimamente tem me feito gostar um pouco menos das histórias. Prefiro os jovem adultos. A questão da nota foi só essa mesmo: descrição e ritmo. O resto eu gostei muito e recomendo demais a leitura! Quero logo o segundo volume dessa duologia!
“Acho que todos temos nossas marcas.”

0 comentários:

Deixe seu comentário