Páginas

Ligeiramente maliciosos - Mary Balogh

Título: Ligeiramente maliciosos (Os Bedwyns #2)
Autor (a): Mary Balogh
Publicação: Arqueiro - 2015
Número de páginas: 288
Onde encontrar: Amazon, Saraiva, SkoobSubmarino
Nota: 🌟🌟🌟🌟,5
A família de Judith Law está passando por dificuldades financeiras, por isso ela foi enviada para morar com a tia. Judith sabe que seu destino não é ser uma hóspede, mas sim trabalhar para garantir sua hospedagem na casa dos parentes. No caminho, quando a diligência em que está viajando sofre um acidente, ela acaba conhecendo Ralf Bedard. Quando ele faz uma proposta ousada para Judith ela não só aceita como se faz passar por uma nova pessoa: Claire Campbell uma atriz a caminho de interpretar um novo papel. Afinal, apesar de conformada com seu destino sem perspectiva de felicidade, ela decide aproveitar uma última chance de realmente viver. O que Judith não sabe é que Ralf Bedard na verdade é Rannulf Bedwyn, um cavalheiro que também escondeu a identidade. Os dois logo se veem mais envolvidos do que deveriam e vivem momentos apaixonantes juntos, tão apaixonantes que Ralf quer seguir a atriz e passar mais tempo com ela. Com medo de que ele descubra quem ela é de verdade, Judith foge, pondo um fim ao romance. Mas o caminho dos dois vai voltar a se cruzar, a verdade de quem realmente são vai vir a tona e eles vão descobrir que não conseguem esquecer os momentos que passaram juntos.

No segundo livro da série "Os Bedwyns" vamos conhecer melhor o terceiro filho homem: Rannulf. Apesar de não gostar de acontecimentos do começo dessa história, porque achei que a autora forçou um pouco a barra em alguns fatos do enredo, a leitura acabou sendo mais envolvente para mim do que o primeiro livro. Os protagonistas me conquistaram mais, o que aumentou também minha torcida por eles.
"Judith subitamente ansiou por um pouco de solidão, pois acabara de descobrir que era possível sentir-se a pessoa mais solitária do mundo no meio de uma multidão"
Rannulf conhece Judith quando está indo para a propriedade da avó, encontrá-la. Neto e avó tem uma relação muito próxima e carinhosa, tanto que Rannulf foi escolhido como herdeiro e sua avó vive  tentando encontrar uma noiva para ele, pois acredita que assim ele será feliz. É justamente quando vai fazer uma vontade da avó, que se encontra doente, que o caminho dos protagonistas vai voltar a se cruzar. Ele vai descobrir que ao invés de ter vivido uma aventura com uma atriz, se envolveu com uma jovem de família e como valoriza a honra vai se sentir além de furioso, culpado.

Gostei muito desse personagem, ele é um homem muito leal e carinhoso com quem ama. Apesar de inicialmente ser enganado por Judith, vai se mostrar muito perspicaz no resto da história, percebendo bem quem são as pessoas a seu redor. Adorei esse ponto, um mocinho que não é facilmente manipulado pelos "vilões".

Já Judith é uma mulher linda, mas cresceu com sua família recriminando sua beleza, apontando suas características físicas como defeitos que deveriam ser escondidos. Ela tem uma baixo auto-estima, mas é também uma mulher muito forte, decidida, orgulhosa e inteligente. Ela vai se encontrar em posições desfavoráveis, principalmente por causa do traste do seu irmão, mas não vai escolher o caminho mais fácil nem se conformar com a pena alheia. Gostei da interação dos dois, ambos são orgulhosos e inteligentes, então vamos ter umas briguinhas bem divertidas e diálogos provocantes.

Dos personagens secundários, temos a tia de Judith que é uma peste. Como Julianne a filha de tia Effingham está caçando um marido, ela vai tentar anular Judith de todas as formas possíveis, menosprezando a sobrinha para que sua filha mimada e egocêntrica se sobressaia. A tia e prima tem bem cara de madrasta e meia-irmã da cinderela, ainda mais porque a prima deseja o prestígio de se tornar Lady Rannulf Bedwyn.
"O amor não é físico, mental ou emocional. É maior do que qualquer uma dessas coisas. É a verdadeira essência da própria vida..."
Além delas temos também um "primo" desrespeitoso que acha que pode tudo, inclusive tomar liberdades com moças humildes e as avós de Judith e Rannulf. Gostei muito delas, as idosas são amigas há muito tempo e ao contrário da tia de Judith, não possuem preconceito e desprezo pelos que não fazem parte da alta sociedade.

Mais uma vez, Mary Balogh nos apresenta personagens bem humanos, com inseguranças e defeitos. Nessa história ela desenvolveu bastante os protagonistas, os dois vão crescer muito e descobrir quem realmente são, além do que realmente querem ser. Foi uma leitura divertida e prazerosa, essa série de época já ganhou um espaço no meu coração, super indico.




0 comentários:

Deixe seu comentário