Páginas

Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi - Hillary Jordan

Título: Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi 
Autor (a): Hillary Jordan 
Publicação: Arqueiro - 2018
Número de páginas: 272
Onde encontrar: AmazonSaraiva, Skoob
Nota: 🌟🌟🌟🌟
"A morte pode ser inevitável, mas o amor, não. O amor, você tem que optar por ele."
Laura McAllan é casada com Henry e o sonho dele é ser um fazendeiro. Agora ele comprou uma fazenda de algodão no Mississippi. Mas Laura é uma garota da cidade, não se imagina morando no campo, longe da civilização e da sua família. Mas ela apoia o sonho do seu marido e vai com ele para o campo com suas filhas e seu detestável sogro. Quando chegam finalmente no seu novo lar descobrem que não tem eletricidade, encanamento , com péssimas condições de moradia. Laura enfrenta sua dificuldade de se adaptar sozinha porque o seu esposo está vivendo o seu sonho de ser fazendeiro. E então seu cunhado, Jamie, volta da guerra. Assim como Ronsel, o filho dos arrendatários que trabalham na terra de Henry. E se tudo estava complicado antes, agora parece que tudo piorou...
"Crioulo, macaco, tição. Tanto tempo defendendo meu país lá fora e, ao voltar, a primeira coisa que vejo é que ele não mudou nada: os negros ainda são obrigados a se sentar nos bancos traseiros dos ônibus, ainda são proibidos de usar a porta da frente das lojas, ainda colhem o algodão dos brancos e ainda pedem licença a esses mesmos brancos para tudo."
Quando eu abri o catálogo da Arqueiro pra solicitação eu não pensei duas vezes em solicitar esse. Se encaixava perfeitamente na minha meta de ler livros com temáticas fora da minha zona de conforto esse ano. E foi uma grata surpresa. Apesar de ser uma história pesada e de embrulhar o estômago, você se envolve com as lutas e sofrimentos dos personagens. 



Hillary Jordan cria uma trama carregada de temas polêmicos como família, traição e preconceito. A temática do preconceito é bem forte, pesada, de partir o coração! 💔 Mas a narrativa da autora é muito boa, ela dá uma voz a história que eu adorei como ela fez. Em alguns capítulos ela termina deixando algumas coisas no ar que é de enlouquecer!! Você pensa "tenho que ler o próximo para descobrir isso", e lá se foram muitos capítulos. E isso é bom porque a narrativa fica muito fluida. Em muitos momentos essa história me lembrou "A cor púrpura". Provavelmente você que já leu, irá gostar dessa história também.

"Mas Hap Jackson não era um preto comum. Para início de conversa, sabia ler."
É uma história recheada de personagens marcantes e cheios de personalidade. Laura vive suas frustrações e problemas sozinha com suas duas filhas porque seu marido agora vive para a sua nova terra e ainda tem que aturar o velho sogro que é detestável! Além de detestável, é infinitamente preconceituoso, que chega a dar nojo! E vive para infernizar a vida dos outros, principalmente os negros ao seu redor. Henry é um personagem neutro que só ta preocupado com a terra e fazer as coisas de acordo como manda a sociedade, ele é o famoso maria vai com as outras. Florence e Ronsel, os arrendatários de Henry, são personagens INCRÍVEIS! Eles são negros e passam por muita coisa nessa história. Jamie e Ronsel estão chegando da guerra, carregando seus traumas e tentando se readaptar a vida normal, mas acaba sendo mais complicado que isso...
"Desprezo: era isso que aquele pessoal sentia por nós. E fazia questão de anunciar."
Além do velho, a cidade parece ser toda cheia de preconceito racial, ainda mais se tratando do ano em que se passa, pós segunda guerra mundial. E quando Jamie e Ronsel voltam da guerra, gera um rebuliço na cidade, já que Jamie faz amizade com Ronsel - Jamie é branco e Ronsel é negro - e ninguém aceita essa relação de amizade entre eles. Mas Jamie não tá nem aí! E isso gera uma grande perseguição à Ronsel. Mas ele é um negro forte, que teve grande participação na guerra. 
"Diziam que não tínhamos disciplina suficiente para nos tornar bons soldados. Que não possuíamos miolos suficientes para pilotar um tanque de guerra. Que éramos, por natureza, inclinados a todo tipo de bandalheira: mentiras, roubo, estupro de mulheres brancas."

"Dormíamos em alojamentos separados, comíamos em refeitórios separados, cagávamos em latrinas separadas. Tínhamos até um estoque de sangue separado. Já pensou um branco ferido se ver, de repente, com sangue negro nas veias?"
Capítulo após capítulo você vai passando por situações com os personagens em que você nem acredita que o ser humano seja capaz de tanta maldade! É revoltante! É um choque de realidade ver a luta de um povo por igualdade. Eu sofri muito em muitas cenas, porque você enxerga o preconceito e desigualdades mais claros do que nunca, para te impactar, para te levar a refletir. E as coisas no século XXI, evoluíram em que ponto? É uma história para tirar grandes lições! Eu gostei demais! E estou doida para assistir o filme! 

Pontos mais fortes nessa história:
- Laura é uma mulher que se anula e vive na sombra de seu marido e toma decisões erradas por conta do sofrimento guardado;
- Florence é a típica mulher negra forte, carismática, inteligente e não se põe no lugar em que os brancos a querem colocar. Ela mostra que é mais que isso. (Eu amei essa personagem!)
- A família de Hap e Florence é maravilhosa!!!!!!!
- Jamie passa grande parte da história tentando se encontrar, se conhecer.
- Ronsel assim como a mãe, não baixa a cabeça. Ele enfrenta e mostra seu valor!
- O velho é insuportável e asqueroso, vai te encher de raiva!
- Jamie é um amigo fiel. Ele não vê a linha que separa ele, por ser branco, de Ronsel, por ser negro
(porque não existe).

- O final é muito forte!
"É isso que significa amar alguém: dar o que você pode, tirar o que precisa"

0 comentários:

Deixe seu comentário