Páginas

Ligeiramente Seduzidos - Mary Balogh

Título: Ligeiramente Seduzidos (Os Bedwyns #4)
Autor (a): Mary Balogh
Publicação: Arqueiro - 2016
Número de páginas: 288
Onde encontrar: Amazon, Saraiva, Skoob
Nota: 🌟🌟🌟,5
"-Ah, não - protestou ela. - Não há contraste aí. Tudo o que é feio para nós, com certeza, é belo para alguém"
Em Bruxelas, na primavera de 1815, os militares ingleses estavam se preparando para uma possível batalha com a França. Isso levou a cidade a ficar cheia de membros da sociedade, que viajaram para acompanhar seus filhos militares. Cansada de ser apenas um produto no mercado de casamentos, Lady Morgan Bedwyn implorou ao irmão Wulfric para acompanhar sua amiga Rosamond a Bruxelas. Ela queria viver uma aventura, estar no centro de onde as coisas aconteceriam. E é lá que ela vai conhecer o conde de Rosthorn: Gervase Ashford. Aos 21 anos a vida de Gervase virou de ponta cabeça e ele teve que sair da Inglaterra. Agora aos 30, o conde de Rosthorn vê em Morgan Bedwyn a oportunidade de se vingar do responsável por seu exílio, o duque de Bewcastle. Em sua tentativa de atingir o duque, ele vai tentar se aproximar da moça. Mas alguns acontecimentos vão mostrar que ambos são muito mais do que o outro imaginou a primeira vista. E vai cabe a eles decidir, se o que sentem vai ser maior do que traições e vingança.
"Opostos são apenas dois lados da mesma moeda. Um não existe sem o outro"
"Eles não são dois lados de uma moeda, ou duas metades de uma alma. São duas preciosas almas individuais que uniram suas liberdades para fazer de suas vidas almo mais glorioso, mais desafiador" 
No quarto volume vamos poder conhecer melhor Morgan, a caçula dos Bedwyns, que apareceu bem pouco até aqui. Gostei muito de como a autora construiu essa personagem. A uma primeira vista, imaginamos ela muito inocente e frágil mas quando entramos em sua cabeça, percebemos que ela é muito mais e tem características bem "Bedwyns", como a cabeça dura e a língua afiada. Apesar da forma como foi criada, Morgan vai mostrar um lado muito humano e cheio de empatia, diante das dificuldades. E vemos ela crescer muito com esses acontecimentos.
"Como posso explicar quem sou, lorde Rosthorn? Ás vezes nem eu mesma sei"
Gervase viu sua vida inteira mudar depois de um fato e ele meio que deixou isso defini-lo, se tornando o libertino egoísta que as pessoas acreditavam. Conhecer Morgan vai despertar um lado dele há muito esquecido, além de novos sentimentos. Gostei de ver o personagem evoluindo e desabrochando ao longo da história. A autora trouxe discussões bem legais através desse personagem como a superação de dores antigas em prol da vida que queremos viver. 
"Não devemos permitir que a sociedade nos diga o que fazer com o resto de nossas vidas. Isso é um absurdo..."
Sou fã da escrita da Mary, sempre muito fluida e divertida. Inicialmente me vi muito presa a leitura e estava adorando, mas em um momento comecei a discordar de algumas decisões dos personagens. E não foi só o não concordar, mas achei que certas escolhas deixaram a história arrastada. Eles batiam tanto na mesma tecla, que pra mim ficou chato. Então acabei me decepcionando um pouco com o rumo que o livro tomou.
"Sua felicidade é mais importante para mim do que a minha necessidade de estar certo"
Apesar disso, amei como ela inseriu discussões atuais em 1815 (não vou te dar dica, porque ia ser um super spoiler) e rever outros membros dessa família. Adoro ler partes em que eles estão juntos, interagindo, são sempre muito boas! E gostei também da forma como Mary ligou esse livro ao próximo da série. Não foi o meu volume favorito, mas eu gosto muito do todo. Conhecer essa família super vale a pena! 






0 comentários:

Deixe seu comentário