Páginas

[Resenha] Caixa de pássaros - Josh Malerman

Título: Caixa de pássaros 
Autor(a): Josh Malerman
Publicação: Intrinseca – 2015
Número de páginas: 272
Onde encontrar: SkoobAmazonSaraiva
Nota: 🌟🌟🌟🌟🌟
"Se o problema é a visão, talvez a gente só precise alterar nosso modo de ver. Ou mudar a maneira física como enxergamos alguma coisa."
Tem algo muito estranho começando a acontecer no mundo, parece que um surto está se espalhando. Tudo começa com um olhar e tudo vira um desastre. As pessoas estão ficando todas apavoradas porque o novo surto, quando a pessoa olha para algo (não sabe-se o que) que a leva a loucura, levando a cometer suicídio e até matar outras pessoas. Agora a saída é viver 24 horas com vendas e/ou protegidas do mundo lá fora, onde parecem viver essas "criaturas" que são as causadoras de tudo isso. Essa é a trajetória de Malorie para proteger a si e aos seus dois filhos e viver em paz e segurança, já que, ninguém é imune a esse mal. 
"Isso é a única coisa em comum com todos os incidentes. Que as vítimas viram alguma coisa antes de atacar as pessoas e de se matar. Dá para acreditar nisso? Dá?"
Essa leitura foi uma aposta que fiz em gêneros que normalmente eu não leio e então, para sair da zona de conforto e viver novas experiencias resolvi encarar. Eu não sabia quase nada sobre a história, mas sabia que muita gente que leu amou demais. Embarquei nessa leitura cheia de expectativas, mas ainda assim, com medo de não gostar, pelo fato de ter saído da zona de conforto. Outra coisa que estava com medo era de ficar apavorada com a história, achei que seria um suspense aterrorizante hahaha. Ele é realmente um suspense, mas foi incrivelmente bem elaborado. 

O autor Josh Malerman criou um enredo fantástico! Ele pensou nos mínimos detalhes nos elementos que seriam empregados para que o leitor ficasse fissurado em sua história e funcionou. É uma história que te deixa intrigado, curioso e com muitas dúvidas, principalmente em "o que são essas criaturas?". É, de fato, um suspense, no qual você fica vidrado porque a cada capítulo soma-se algo importante e interessante nessa história. E definitivamente, você precisa saber mais! 
Ela é contada em dois tempos, no passado, quando tudo começou e no presente com a personagem Malorie depois de muitos anos convivendo nesse mundo, tentando manter-se segura e encontrar um lugar melhor para viver com seus filhos. Mesmo sendo curta, com suas 272 páginas, ela não deixa em nada a desejar. E o fim pra mim foi incrível.


Em sua jornada, Malorie encontra um grupo de pessoas as quais ela agora precisa conviver. São personagens criados com personalidades distintas, feitas para você amar e odiar; se identificar e não se identificar; fáceis e difíceis de se conviver, assim como na vida real sabe? E a maior parte da história se passa nesse cenário, com essas pessoas totalmente diferentes tendo que conviver umas com as outras, tentando instituir regras de convivência. Alguns personagens me cativaram, outros não, mas acredito ter feito parte do plano do autor. São personagens descritos e trabalhados em seus diferentes temperamentos e personalidades. Muito diferentes uns dos outros, para que ele pudesse trabalhar o convívio dessas pessoas em uma situação extrema.
Algo abordado, que também ganhou a minha atenção foi no instinto materno trabalho em Malorie. Naquele sentimento de proteção dos seus filhos. Em desejar uma vida melhor para eles, um mundo melhor. 
"As crianças nunca viram o mundo exterior à casa. Nem pelas janelas. E malorie não o vê há mais de quatro anos. Quatro anos."
"Como pode esperar que seus filhos sonhem em chegar às estrelas se não podem erguer a cabeça e olhar para elas? Malorie não sabe a resposta."
Na minha experiencia com essa leitura, o mistérios e o suspense foi algo incrivelmente bem feito, assim como apesar de ele ser o ponto chave da história, na verdade ele ser o plano de fundo. Ver pessoas diferentes tendo que conviver umas com as outras em um mundo que obviamente está ruindo, foi incrível. Vê-los tendo que lidar com seus próprios medos e anseios e ainda assim, tendo que cuidar de si e do seu próximo que está logo ali, passando pela mesma situação. Foi incrivelmente bem construído o comportamento humano em momentos como esse. Vê ali cada tomada de decisão, cada pensamento no coletivo e até mesmo os conflitos. As partes em que se via alguém sendo individualista, injusto, confuso, foram sentimentos difíceis até mesmo de traduzir. Por esse motivo, de eu ter gostado tanto essa abordagem do autor, no comportamento humano no desespero, que o final pra mim foi ótimo! Veja que muita gente odiou, mas eu complemente entendi, porque fiquei presa na construção da história, no crescimento pessoal das pessoas. 

Essa foi uma leitura feita para sair da zona de conforto e saiu. É o tipo que vou indicar para qualquer pessoa. Porque ela mexe com muito mais do que o suspense. O melhor dessa história é ler sem saber muito e ir se surpreendendo a cada novo capítulo, isso foi de suma importância na minha experiencia. Eu achei fantástica e estou na expectativa para o outro livro já publicado aqui no Brasil pelo autor. Apesar das críticas quero ler "Piano vermelho". Indico de "olhos fechados" ahahhahahahaha a todos!!
"Fazemos isso com nós mesmos. FAZEMOS ISSO com NÓS MESMOS. Em outras palavras (guarde isso!): O HOMEM É A CRIATURA QUE ELE TEME."




0 comentários:

Deixe seu comentário