Páginas

[Resenha] Eu perdi o rumo - Gayle Forman

Título: Eu perdi o rumo 
Autor (a): Gayle Forman
Publicação: Arqueiro - 2018
Número de páginas: 272
Onde encontrar: Amazon, SkoobSaraiva
Nota: 🌟🌟🌟,5

"O tempo pode curar tudo? Ou certas coisas se quebravam de maneiras irreparável?"

Essa é uma história 3 em 1. É a história de 3 personagens vivendo momentos difíceis em suas vidas que se encontram. Freya é uma garota que bombou na internet com seus vídeos cantando e agora que ela está na fase de produção do seu primeiro álbum, ela perdeu a voz. Assim como tem de carregar o peso do seu drama familiar. Harun precisa contar a sua família muçulmana que está apaixonado por um garoto e ainda encarar o seu próprio drama familiar. Nathaniel é um garoto misterioso, em uma cidade que não é a sua a fim de colocar um plano em prática por conta dos dramas familiares. São três jovens que se encontram no Central Park e tem as suas vidas entrelaçadas.
"O amor é condicional. Tudo é."
Desde que "Se eu ficar", da mesma autora, foi lançado aqui no Brasil, eu fiquei com muita vontade de ler algo dessa autor. Nunca tive a oportunidade, até o momento. A editora arqueiro trouxe esse título para o Brasil, então aproveitei essa oportunidade para conhecer a escrita da tão famosa Gayle Forman. Vi muita gente alucinado para ler, então fiquei meio empolgada. Trata-se de uma história YA (ou Jovem adulto), de escrita fácil, leve e simples. Apesar de ser abordado temas polêmicos, fortes e até dramáticos, a leitura é extremamente fluida e rápida. É até o caso de ser um daqueles "livros para ler em um dia".



Nessa história temos 3 personagens principais que estão vivendo, cada um, um drama em sua vida particular, principalmente envolvendo a família. O que me fez pensar que família a gente ama, mas "ô trem problemático". As vezes depositamos muita confiança e acreditamos que todo mundo vai nos dar as costas, mas a nossa família estará ali para nos dar apoio, não é? Acontece que muitas vezes não... 
Aqui Freya carrega uma grande trauma que envolve alguém que ela ama demais e que tecnicamente era para dar amor e apoio a ela, mas simplesmente a abandonou. Harun tá naquele drama de contar para a família de que é homosexual, mas acontece que não é mais uma dessas histórias...ele é muçulmano! Sua família é muito religiosa e ele é considerado o filho perfeito, bom moço. Mas ele terá que "decepcionar" a todos. Já Nathaniel se mostra uma grande incógnita grande parte da história, mas que cresceu em um lar muito desfuncional e problemático. E tem umas histórias bem doidas dessa família.
"(...) por mais que estivesse sendo tragado pelo chão sob seus pés, ele respondia: "Está tudo bem.". Uma mentira deslava. Quando é que está tudo bem? Mas as pessoas engolem. Elas sorriem. Seu alívio é sempre palpável e sempre doloroso."
Essa foi uma leitura que realmente li bem rápido, mas não me conquistou. Isso não quer dizer que não gostei, mas também não amei. Mas foi bom para passar o tempo e me entreter. Tem seus pontos de reflexão e passagens realmente interessantes para se pensar. Para quem gosta muito do gênero, acredito que vá gostar mais do que eu. Eu gosto de YA, mas não é dos meus gêneros favoritos. O bacana foi que eu tive a experiencia de ler algo de Gayle e gostei muito da escrita dela, é muito fluida! Enfim, indico para quem gosta de YA.
"Portar a perda de alguém é ser o guardião de seu amor. Compartilhar a própria perda com alguém é uma forma de dar o próprio amor."

0 comentários:

Deixe seu comentário