Páginas

[Resenha] A luz que perdemos - Jill Santopollo

Título: A luz que perdemos 
Autor (a): Jill Santopolo
Publicação: Arqueiro - 2018
Número de páginas: 272
Onde encontrar: Amazon, Skoob, Saraiva
Nota: 🌟🌟🌟🌟
"O que é uma vida que vale a pena?"
"É o que estou tentando entender. Talvez tenha a ver com deixar sua marca, alguma coisa positiva. Tornar o mundo um pouco melhor do que como a gente o encontrou."
Em pleno atentado às Torre Gêmeas em 11 de setembro de 2001, Gabe e Lucy se conhecem. Por verem tanta destruição, morte e sofrimento naquele atentado, eles decidem fazer a diferença em suas vidas através da profissão. 
Após um ano, depois de encontros e desencontros, eles estão finalmente dispostos a investirem neles. Mas é quando aquele sonho de fazer a diferença no mundo se põe entre eles. Lucy tem um projeto em Nova York e Gabe, no Oriente Médio. Difícil saber se em meio a tantas dificuldades para ficarem juntos, eles vão conseguir.
"Às vezes tomamos decisões que achamos corretas, só que, mais tarde, percebemos que eram erros óbvios. Há, porém, algumas escolhas que continuam acertadas mesmo à luz do tempo."
Essa é uma história narrada em 3ª pessoa, que no início eu achei que isso me incomodaria, mas que foi muito coerente com a história. Esse tipo de história realmente pega muito bem uma estilo diferente de narrativa. A escrita de Jill é daquele tipo bem leve e fácil e isso torna a leitura muito rápida e fluida. Com as suas 272 páginas a leitura flui demais e é daquelas que você faz em uma sentada. Por conta da escrita mas também pela forma que ela foi contada. Essa é uma história meio que contada de trás pra frente, a personagem está em uma situação, a qual, ela para para contar todos os fatos que aconteceram até chegar onde ela tá. Isso faz com que você, leitor, leia sem parar para descobrir o que realmente está acontecendo. Esse foi o primeiro livro que li dessa autora, mas também não sei se ela tem outros publicados aqui no Brasil. Se tiver, quero ler, se não tiver, quero que chegue hahaha.


A luz que perdemos é uma história que aparentemente é um romance, mas que o plano de fundo é mais dramático, sensível e intenso. Ele aborda temas sentimentais, familiares, escolhas, valorização feminina, entre outros. Lucy conta a história dela desde que ela conhece Gabe, quando eles tem que se separar (porque ambos escolheram as suas carreiras), quando ela conhece Darren e como tudo isso mudou a sua vida em muitos sentidos. Ele nos traz a reflexão sobre as nossas escolhas, de o quão elas são acertadas no presente e o que refletirão no futuro. Sobre o que finalmente é o amor ou se ele é uma obsessão quando ele sai do nosso controle. Lucy, Gabe e Darren fazem uma ótima história "juntos". A autora desenvolveu as duas partes da trama com muita carga e questionamentos. Eu, particularmente, fiquei bem reflexiva em muitas partes, principalmente porque a trama toda corre em volta de uma decisão e aí em muitos momentos vem aquele "e se". Lucy faz muitas escolhas que eu certamente não faria.
"Há pessoas com quem cruzamos na vida e que, depois que se afastam da gente, deixam de fazer parte dela. Mesmo quando as encontramos de novo, ficamos apenas com um "Oi, como vai?". Com outras, no entanto, a impressão é de retornarmos sempre a conversa no ponto exato em que a interrompemos."
Essa foi uma história que me cativou desde o início por conta do "mistério" do que estava acontecendo no presente, com isso eu queria ler logo o passado. Foi muito envolvente e gostoso ler. Mas acontece que quando chega no final, para mim, a história desanda. Existe uma decisão tomada que acabou com brilho da história ao meu ver. Muitas pessoas podem achar que são coisas que acontecem, as pessoas erram e tomam decisões baseadas no momento em que estão vivendo. Mas eu discordo. Essa decisão jogou um balde de água fria na história. Eu estava convicta de que daria 5 estrelas, mas precisei tirar 1 estrela inteira por conta dos acontecimentos finais. Eis que chega então naquele momento em que eu esperei o livro todo pra saber, mas que no decorrer da história você meio que imagina e me remeteu a um autor que eu não gosto da carga dramática de seus finais.

Enfim, foi uma leitura que eu adorei fazer, mas que o final me decepcionou um pouco. Mas a experiencia é válida. Tem muitos temas a serem levados em consideração a serem refletidos. Eu indico essa leitura, mas lembrando que o final não me agradou muito, mas pode ser que te agrade.
"Espero que você encontre um amor assim, que seja absoluto e poderoso, que faça você se sentir meio louco. E, se você encontrar esse amor, agarre-o. Prenda-o. Ao se doar a um amor assim, seu coração irá sofrer. Será machucado. Mas você poderá se sentir imortal e infinito."

0 comentários:

Deixe seu comentário