Páginas

[Resenha] A Torre do Amor

Título: A Torre do Amor
Autor (a): Eloisa James
Publicação: Arqueiro - 2018
Número de páginas: 352
Onde encontrar: Amazon, Skoob
Nota: 🌟🌟🌟🌟,5
Assim que o Gowan, o Duque de Kinross, vê Lady Edith em um baile, ele se sente atraído por ela e logo decide que a quer como esposa. Eddie parece ser tudo que ele almeja na sua futura duquesa, mas o que ele não sabe, é que a moça que ele conheceu não é a verdadeira Edith. Na noite em que se conheceram ela estava doente, e quando Gowan pede sua mão ela mal se lembra do seu rosto. Querendo que seu casamento seja diferente do de seu pai, a dama toma uma decisão audaciosa e escreve para seu noivo. A medida que eles se conhecem, uma grande atração mútua surge e eles mal podem esperar para se casar. Contudo, quando isso acontece, os dois vão descobrir que conviver com um quase estranho não é tão fácil. Apesar de prometer ser honesta, uma pequena omissão, leva Eddie a criar  uma grande mentira em seu casamento. E enquanto Gowan se vê cada vez mais apaixonado, ele não consegue entender o que há de errado, e porque sua esposa parece não correspondê-lo. Quando a verdade vier a tona, será que eles vão conseguir superar as diferenças e ficar juntos? 
"Sua sinceridade sempre o estarrecia, a forma como ela soltava com tanta facilidade coisas que os outros escondiam ou dispensavam em doses exíguas" 
Li todos os livros da série Conto de Fadas da Eloisa, e confesso que sempre me decepcionava um pouco, porque "Quando a Bela Domou a Fera" foi meu favorito de longe. Esse volume não mudou isso, mas enquanto nenhum conseguia chegar nem perto do primeiro volume, esse finalmente chegou! E se tornou o segundo melhor pra mim. 
Gostei bastante de alguns pontos da história: como as mudanças que os personagens passaram e o modo que ela abordou o conto de fadas. Mesmo quando não amo seus romances, eu sempre gosto muito da forma que a autora insere o conto de fadas na história e dessa vez  não foi diferente, ela é sempre muito criativa e faz isso com maestria. AHHH E EU AMEI o fato dela ter citado personagens da Julia Quinn, da série Smythe-Smith. Não sei vocês, mas, eu amo rever personagens queridos, e esse foi uma feliz surpresa, adorei! 

Em relação aos personagens, tive momentos de amor e ódio. Gostei muito que Edith mostrou ser mais do que Gowan percebe a primeira vista, e a forma como ele se portou diante dessa descoberta. Mas as vezes ela me irritou um pouco, meio cheia de vontade e sem conseguir ser totalmente verdadeira com ele. Já o estresse com Gowan foi por conta dos pensamentos machistas comuns na época, que ele compartilha e aparecem principalmente no inicio da história. Revirei meus olhos em algumas falas, mas entendo que foram trazidas para a história por conta do período. E a autora busca desconstruir algumas desses pensamentos. Ao longo da história ele se mostra bem amorzinho, e evoluiu, então meio que compensou e relevei a raiva inicial. 
"Ouvira a vida inteira que era bela, por isso entendia como tal atributo podia ser vazio de significado"
Sobre o X da questão no enredo, ao mesmo tempo que a autora saiu do comum na maioria dos romances e trouxe um problema diferente (e bem vida real), ele poderia ter sido facilmente resolvido com diálogo. Então também despertou algumas respiradas fundas, mas tínhamos que ter um clímax né? Pelo menos ela mostrou que um casal pode superar problemas com sinceridade e escuta. 

A conclusão dessa resenha bem librianda, gostei disso, mas não tanto disso 😂😂. É que: valeu a pena! Se tornou meu segundo favorito da série. Não amei tudo o tempo todo, mas o conjunto foi bem legal, por isso a nota 4,5. Se assim como eu, você ama romances de época, é mais um pra colocar na lista. 

0 comentários:

Deixe seu comentário