Páginas

[Resenha] A irmã da lua - Lucinda Riley

Título: A irmã da lua (As sete irmãs #5)
Autor (a): Lucinda Riley
Publicação: Arqueiro - 2018
Número de páginas: 592
Onde encontrar: AmazonSkoob
Nota: 🌟🌟🌟🌟,5

"A vida tem a ver com intuição e um pouco de lógica. Se você aprender a equilibrar os dois, qualquer decisão que tomar será naturalmente a correta."

Nesse quinto volume chegou a vez de Tiggy descobrir a sua história e as suas origens. Ela embarca numa jornada inicialmente em busca do seu lado profissional, ja que, ela tem uma carreira com proteção aos animais e é nesse intuito que ela chega na Escócia, onde ela faz amigos, se envolve em mistérios e abre uma grande porta para o seu passado. Deixando a Escócia para se descobrir, Tiggy vai para a Espanha, conhecer a história da sua família biológica e é aí que conhecemos Lucía e a sua história.


Ao dar o start nessa história achei Tiggy a personagem mais peculiar das irmãs. Ela tem um lado naturalista e amante da natureza que a faz única entre as demais. Ela é a típica personagem mais calma e tranquila, de coração bom, mas também muito esperta. Assim como as suas irmãs, Tiggy inicialmente só quer seguir em frente, até se esbarrar casualmente com o seu passado. Ela é uma personagem muito boa de se conhecer, ela foi feita em um molde muito único pela autora. 
"Esse é o ciclo da vida, Tiggy, cheio de olás e adeus, e você tem que entender isso o mais rápido possível."
Como de costume, é uma narrativa que mescla passado e presente. O presente conta a vida da personagem no tempo atual, em busca de seus sonhos e sucesso profissional, conhecendo novas pessoas e se envolvendo também em barraco de família e mistério em cidade pequena hahaha. E depois de tudo isso, então ela embarca para a Espanha e aí que acontece o boom do livro. Confesso que até o momento em que ela embarca para lá eu estava com bastante medo de me decepcionar com esse volume.



Quando ela chega na Espanha conhecemos então a história de suas ancestrais María e Lucía. e a história vai andando e nos apresentando uma Espanha muito antiga e num bairro bem pobre. Vemos a cultura espanhola, o linguajar e, mais que isso, a cultura cigana de lá. As ancestrais espanholas narram as suas vidas em grutas. Lucía torna-se uma grande estrela da dança espanhola e conquista seu espaço, tanto no seu pais como fora dele, mas acontece é que ela é uma personagem insuportável, desculpe-me até a forma grosseira de descrevê-la. Mas infelizmente foi isso que achei. Foi muito difícil de engoli-la e de ler a narração sobre a sua história, porque ela era uma mulher muito chata! 
Eu já estava conformada de que seria um dos volumes que eu menos iria gostar. Mas a trama vai e volta tantas vezes e somos surpreendidos com tanto elementos que ao juntar tudo não tem como não gostar.
"Aye, família é tudo. Podemos odiá-los com toda a nossa força, mas, se alguém de fora machucar, nós os defendemos até a morte."
É o volume com mais personagens peculiares que eu já li dessa série, alguns dificeis demais de gostar, outros muito carismáticos. As pessoas que ela conheceu na Escócia são demais! 
Mas é um história recheada de contexto histórico, culturas, guerras e muito aprendizado sobre amor, família, recomeços e lealdade.

E mais uma vez  finalizo um volume dessa série loucamente ansiosa pelo próximo.
"Afinal, família a gente não escolhe."

0 comentários:

Deixe seu comentário